O dia sem nome, 3.
 
Dacar, dia 14 de abril, 16 horas.
 
O funcionário começou a preencher o laudo nos pontilhados do impresso. Espaços. Delegado de Homicídios. Espaços. Nome da vítima, apanhou o papel e copiou. Virou a página. Tudo foi saindo automaticamente. Aos dois dias do mês de abril, quando perguntou para o outro:
vai sair com ela hoje?
acho que venho pra cá mais tarde. você vai ficar até que horas?
termino essa merda aqui e me mando
Os abaixo assinados, médicos legistas, mediante requisição do senhor Delegado de Homicídios
acha que ela topa dar pra mim?
com jeito, acho que vai, mas é melhor esperar um pouco. hoje vai ser a terceira vez, porra, quero dar uma caprichada.
ela já te chupou?
ainda não, mas hoje não escapa. tem pouca prática, parece, fica meio envergonhada, eu abri a calça e mostrei o pau e ela ficou vermelhinha...
porra, vai com calma
E tendo sido designados para procederem o exame necroscópico do cadáver de um menino que nos foi dito como sendo o de
qual é mesmo o nome do filho da puta, ah!, aqui está...
o negócio é dar uma bebidinha fraca, gostosa, depois ela topa tudo. essa aí não queria de jeito nenhum. pensei que era fechada, mas na hora agá ela me disse que tinha sido enganada pelo namorado aí eu falei não vou forçar você benzinho mas meti a mão debaixo da blusa e enchi a mão com o peitinho dela e ela quis ir embora e eu falei meu benzinho eu respeito você mas um carinho como esse não vai fazer mal a ninguém só um pouquinho assim e você vai se sentir no céu não quero forçar você.
De mais ou menos onze anos de idade, residente nesta cidade, respondermos os seguintes quesitos abaixo transcritos...
quando ela deu por si eu já tinha aberto a blusa e comecei a beijar no pescoço mas não larguei a mamica e aproveitei para apertar o corpo dela contra a minha barriga comecei a alisar a bunda dela e acho que ela sentiu que já tava duro
Damos depois de praticado o exame ordenado e de tomadas as informações julgadas necessárias, o nosso laudo. Quesitos: Primeiro, houve morte? Segundo, qual a causa?
eu fui descendo a boca e quando vi que minhas costas estavam doendo, abri a calça, tirei tudo pra fora, falei assim senta um pouquinho no meu colo e aí eu acho que ela já tava a fim de sentar em cheio em cima do meu pau mas continuou dizendo que não e sentou devagarinho em cima do meu joelho e eu comecei a chupar o biquinho da maminha
Segundo, qual a causa, não esse eu já copiei. Terceiro: qual o instrumento ou meio que a produziu: Quarto, foi produzida por meio de veneno, fogo, explosivo, asfixia ou tortura, ou outro meio insidioso ou cruel? Histórico: Aos dois dias do mês de abril
porra, isto foi aqui?
claro! não lembra quando disse pra você não trazer ninguém aqui de noite, que eu ia tentar uma conquista?
ah, sim, agora me lembro. naquele dia minha mulher quis ir ao cinema. mas isto já tem um mês! e hoje vai ser a terceira vez?
é que ela me disse que ia viajar. semana passada nós fomos no matão lá perto do armazém velho e ficamos de nos encontrar hoje às oito.
porra, também quero uma vez nessa!
vamos esperar um pouco. podemos fazer como daquela vez. você entra como quem não quer nada e nos encontra pelados. a gente marca bem a hora e eu espero pra fazer ela tirar a roupa, daí você finge que manda em mim e me manda embora e dá sua trepada.
boa foi aquela que peguei com você bem na hora e eu já tirei a calça e grudei ela por detrás e ela só dizia ai um de cada vez vocês combinaram seus viados e eu dizia viado você vai ver sua putinha chupa aqui anda logo e ela me deu aquela chupão, tenho que acabar esta bosta.
que merda é esta aí?
é aquele relatório.
não acabou ainda?
estou fazendo hora. desconfio que aquele guri é viado. ele me deu uma secada no pau que vou te contar. cada vez que desconfio que o filho da puta é viado, demoro de propósito, faço a maior zona.
pra quê que ele quer isto?
acho que é prum seguro.
manda ele vir aqui amanhã de noite que eu como ele.
porra, você, ein? eu por mim queria fazer ele tirar a calça e ia dar uma surra nele e ia enfiar um troço qualquer no rabo dele.
porra, uma vez marquei um encontro aqui e você ainda não trabalhava aqui e olha, vou ser sincero, o guri fez o troço de tal jeito que eu dei umas quatro esporradas fez de tudo e acho que aquele fez curso de putaria.
porra, esses viados não dão uma dentro comigo. esse aqui vai se dar mal, vou segurar esse relatório até o mês que vem.
porra, se quiser eu acabo de bater e amanhã você manda ele falar comigo e eu vou mandar esperar e abro a calça deixo o pau um pouco à mostra eu vou pra salinha que hora que ele costuma vir?
não sei. mas na hora eu levo alguma coisa pro delegado e quando sair fecho a porta.
isso! aí eu dou uma coçada e tiro e mostro pra ele e falo tô precisando dar um jeito no bichão e conforme ele reagir eu falo venha amanhã à noite que eu vou fazer seu relatório sem falta.
puta merda, não sei como você consegue.
porra, se você nunca experimentou, como é que vai dizer que é ruim?
eu tenho nojo, porra. mas pode deixar que eu acabo de bater, já estou na metade.
Continuou: Pelas sete horas e meia, deu entrada no Necrotério Municipal, o corpo que nos foi dito ser da pessoa acima qualificada. Das informações prestadas, consta ter sido a mesma vítima de acidente de viação em via pública por volta das oito horas e vinte minutos do dia primeiro de abril do ano de
acho que estou com fome. não sei se vou comer alguma coisa ou se levo a putona pra jantar comigo.
porra, se a foda é boa, vale a pena pagar um jantar, que horas é o encontro?
às oito.
O outro pegou o jornal.
Removido para o Hospital Municipal, onde faleceu às cinco horas e quinze minutos do mesmo dia. Descrição: Vestes: um só tênis azul, meia de duas cores, cueca tipo zorba vermelha, calça tipo farwest, camisa branca. O corpo apresenta os seguintes sinais de morte: rigidez permanente, esfriamento do corpo, manchas hipostáticas dorso-lombares, córneas transparentes, pupilas dilatadas, 
porra, se minha mulher estivesse viajando eu ia ficar aqui escondido e você deixava a luz acesa.
porra, que graça que tem ficar olhando?
porra, dá um tesão danado.
tenho medo dela desconfiar, porra. não é sempre que a gente arranja uma tesuda de graça e ainda mais com aquela bunda...
Não existem manifestações externas de putrefação. Exame externo: o cadáver é de um menino, de regular desenvolvimento ósseo e muscular, em regular estado de nutrição, de cento e quarenta e nove centímetros de altura, de cor negra, cabelos e olhos pretos. À inspeção externa, esse cadáver apresenta: Primeiro:
matou o desafeto com sete facadas! puta merda! esses jornalistas arranjam cada manchete!
Ferida corto-contusa, medindo doze centímetros. Segundo: Múltiplas escoriações infectadas distribuidas pela face,
porra, aquele cara tá ficando maluco, escuta só: numa só viatura foram recolhidas treze mundadas que infestavam a zona boêmia da cidade.
Cicatriz cirúrgica (antiga) localizada na fossa ilíaca esquerda, medindo seis centímetros de extensão
acho que vou comer. se for o caso, depois eu levo ela em algum lugar mas quero estar em forma. você fecha?
fecho. quer dizer que você quer entregar o relatório pro viadinho?
pode deixar comigo. hoje uma chochotinha, amanhã um rabinho, porra, eu sou homem, quer dar, vem, que eu já tô de pau duro. até logo.
Saiu rindo.
Equimoses azuladas. Exame externo: praticada a incisão mento pubiana
porra, se eu penso só na bundinha, até que deve ser legal, mas quando lembro no que é que tem lá dentro, porra...
Descolados e abatidos os retalhos, retirado o plástrom condron-external e abertas as cavidades toráxica e abdominal, verifica-se que
Os dedos continuavam automáticos, enquanto a mente se perdia num labirinto
porra, ela vai esquentar o jantar e já sei que se ela sentar perto de mim com aquela blusa é porque está querendo ser empalada
Parênquima firme, friável, acinzentado, com áreas vermelhas e pontilhado amarelo-creme confluente, e focos de cavitação puntiforme
a última vez que eu vi, acho que foi há duas semanas. tenho tido sono muito cedo. também, eles repetem muito os filmes e ainda tem aquela quantidade de propaganda
1. Fragmento medindo sete por cinco por dois centímetros, com coágulo na luz no ventrículo direito.
2.
esse cara é esquisito. não sei o que seria de nós dois, se descobrissem. aliás, acho que o chefe sabe, finge não saber. ele deve entender, com esse salário, não dá pra pagar motel, o jeito é se arrumar por aqui mesmo, é por isso que temos um acolchoado lá dentro, ele deve ter lá o seu apartamento pra levar as putas e não acredito que goste de rapazes como dizia aquele sujeito que foi demitido
Congestão e acentuado exsudato fibrino leucocitário na luz alveolar e brônquica, por vezes com destruição tecidinal, abscedação e confluência. Exsudato pleural...

Atualizado em ( 27 - 10 - 2013 13:36 )