A ditadura da imoralidade 06: ZOOLOGIA


- Bento que bento é o frade!
- Frade!
- Na boca do forno!
- Forno!
- Tirai um bolo!
- Bolo!
- Tudo que o banqueiro mandar?
- Fazeremos todos!
- E se não fizer?
- Não tem caixa dois pra campanha!
- Tudo que o empreiteiro mandar?
- Fazeremos todos!
- E se não fizer?
- Não tem obra pra superfaturar!
- Então...

Meu papagaio
foi-se embora pra Brasília,
abandonou a família,
foi morar na capital.
Mandaram logo
um cachorro delinqüente
"ensiná" a língua da gente
do Distrito Federal.

Corrupi-paco, papaco,
corrupi-paco, partido,
corrupi-paco, corrupi-
corrupção.

Congressistas atrevidos,
com partidos repartidos
e conchavos escondidos.
Traição!

Daí a pouco
apareceu a cabrita
pra fazer uma visita,
se dizendo liberal.
O papagaio
soube todas as intrigas
e ouviu "falá" das formigas
que infestam o local.

Corrupi-paco, papaco,
corrupi-paco, partido,
corrupi-paco, corrupi-
corrupção.

Congressistas tão polidos,
nova troca de partidos.
Eis lobistas bem vestidos.
Traição!

Os peçonhentos,
se chamando de Excelências,
vão fazendo as exigências
do processo eleitoral.
O papagaio
que até então era mudo,
disse que, aquilo tudo,
só no reino animal.

Corrupi-paco, papaco,
corrupi-paco, partido,
corrupi-paco, corrupi-
corrupção.

Congressistas carcomidos,
com partidos convertidos,
mensalões descomedidos.
Traição!

Curitiba, outubro.1977

Atualizado em ( 14 - 03 - 2014 02:30 )