A ditadura da burrice 03: RECEITA DE BOLO
(poema do protesto inútil)


(O herdeiro da coroa francesa não foi suicidado na prisão)
 
Uma panela,
de preferência, gigante,
pra aumentar o poder.
E dentro dela,
um povo ignorante,
vai ajudar, podes crer.

Uma fornalha,
água, vinagre, pimenta,
pra cozinhar sem ferver.
Muita metralha,
porque se a coisa esquenta
preciso a ordem manter.

Dez colheradas
de ajuda americana
pra garantir e suster.
Umas pitadas
de liberal à paisana
pra popular parecer.

Raspe com espadas
o empecilho suspeito
pra ensinar o temer.
Cem toneladas
de ordem, lei e respeito
e a ilusão de crescer.

Dar colorido,
cobrir com filmes e fotos
pra o azedo esconder.
É proibido,
nesta receita, entrar votos.
Ou bolo solado vai ter.

Cachaça, cuíca,
futebol, falsa alegria,
demagogia a valer.
Bem melhor fica
se cozinhar n'água fria
e está prontim pra comer.
 

Esse bolo é meu,
não deixo ninguém tocar.
Esse bolo é meu,
e está prontim pra papar.
Esse bolo é meu,
não deixo ninguém mexer.
Esse bolo é meu,
e está prontim pra comer.
Esse bolo é meu,
não deixo ninguém bulir.
Esse bolo é meu,
e está prontim pra engolir.

Curitiba, 10.10.1977

Atualizado em ( 16 - 01 - 2014 09:09 )